Dermatite atópica em bebê: como identificar e tratar eczema na infância

0
327

Dermatite atópica em bebê: como identificar e tratar eczema na infância

Dermatite atópica em bebê, ou eczema, é uma reação na pele que afeta geralmente crianças entre 1 e 5 anos de idade. Na maioria dos casos, aparece antes que o bebê complete 2 anos. A boa notícia é que, da mesma maneira que surgem, esses sintomas desaparecem quando a criança atinge a adolescência. Embora não possa ser definitivamente curada, a dermatite atópica pode ser controlada com os medicamentos corretos.

Alguns dos sintomas de eczema em bebês são: pele seca, coceira, vermelhidão, rachadura – às vezes, essas feridinhas podem sangrar, se o bebê coçar muito. Dermatite atópica em bebê significa que a barreira da pele não funciona como deveria, o que a torna mais seca – assim, a pele estará mais suscetível às inflamações e infecções e os alérgenos penetram na pele com maior facilidade, o que pode levar à piora do quadro.

O que causa dermatite atópica em bebê?

A causa da dermatite atópica em bebê ainda é desconhecida, mas é possível que a genética tenha um papel preponderante. Condições alérgicas, como asma, bronquite e rinite podem favorecer o aparecimento do eczema e as erupções cutâneas surgem como alarme: o mesmo tipo de alérgeno que desencadeia as crises de rinite, asma e bronquite pode ser aquele que favorece o aparecimento da dermatite atópica em bebê.

Se o seu bebê tem essa condição, provavelmente você verá algumas manchinhas vermelhas na sua pele. Nos momentos em que estão inflamadas, ocorre a erupção dessas feridas, principalmente quando o bebê está com o sistema imune afetado e apresenta crises de asma, rinite e bronquite. Nesse caso, você precisa levar o seu bebê ao médico para tratar a causa primária da alergia. Vale a pena consultar um alergista para descobrir a causa das crises.

Outra condição que favorece é a irritação cutânea causada pelo uso de químicos, como os sabonetes líquidos, shampoos, amaciante e sabão em pó. Usar um sabonete neutro na hora de dar banho no seu bebê, trocar o shampoo por um que tenha uma fórmula mais suave e comprar produtos de limpeza de roupas próprios para bebês, com fórmula menos pesada, pode ajudar a reduzir os sintomas.

É comum que os bebês fiquem bastante irritadiços quando têm uma crise de dermatite atópica. Para eles – assim como para alguns adultos que sofrem com a condição – é difícil não coçar e não arrancar as casquinhas. O problema é que isso pode deixar a área desprotegida e favorecer as infecções. Em casos mais graves de dermatite atópica em bebê, a condição pode afetar o sono e a confiança da criança.

Como tratar eczema em bebê

O tratamento de eczema depende da severidade do quadro. Se a criança tem poucos pontos de alergia espalhados pelo corpo, basta simplesmente utilizar uma loção emoliente, pomadas de uso tópico e cremes combinados com uma pomada de baixa concentração de esteróides recomendada pelo pediatra.

Hidratar a pele do bebê para prevenir o desencadeamento do eczema é crucial. Uma vez que as crianças que desenvolvem a condição precisam utilizar um creme emoliente algumas vezes por dia, mesmo quando a dermatite atópica não está atacada. Isso previne que a pele fique ressecada.

Existe uma variedade muito grande de hidratantes e emolientes disponíveis – você vai precisar testar alguns até encontrar o que será melhor para o seu bebê. Tente sempre as fórmulas mais leves, sem álcool, sem parabenos e com ingredientes naturais.

O uso de pomadas com corticóide é perigoso para o bebê?

Médicos recomendam que o eczema em bebês seja tratado com uma pomada com corticóides de uso tópico, assim como emolientes, regularmente. Quando usados corretamente, tanto os emolientes quanto os corticoides não fazem mal – o maior efeito colateral é afinar a pele se forem usados por um longo período, mas não há evidências quanto à permanência desse efeito, a pele dos bebês se regenera. De todo modo, o ideal é que os tratamentos com corticoides não ultrapassem 2 ou 3 semanas, no máximo.

É importante respeitar as quantidades recomendadas pelo médico, dependendo da severidade do eczema. Os corticoides sempre têm que ser usados sob prescrição e supervisão médica e o pediatra pode mostrar a quantidade adequada a aplicar sobre a pele do bebê. 

Outra recomendação importante é usar a pomada apenas nas áreas afetadas não mais do que duas vezes ao dia e lembrar de usar cremes emolientes ao longo do dia. Você pode aplicar a quantidade de emoliente ou hidratante que o seu bebê precisar, não há restrições como no uso de corticoides.

O que acontece se a dermatite atópica infeccionar?

Eczema pode ser agravado por infecções na pele geralmente causadas pela coceira no local da ferida até que a casquinha seja removida e a pele fique exposta. Se o eczema do seu bebê ficar infectado, pode sangrar, formar crostas ou expelir um líquido aquoso. Nesse caso, será necessário tratar o local com antibiótico local, se o ferimento for pequeno ou com antibióticos orais, nos casos das áreas maiores. 

Há algo que possa ser feito para ajudar meu bebê?

Existem algumas medidas que você pode tomar para aliviar ou prevenir a dermatite atópica em bebê:

  • Mantenha um diário e veja se você consegue identificar os gatilhos da reação alérgica que causa eczema no seu bebê – leve-o consigo e converse com o pediatra na próxima consulta.
  • Especialistas acreditam que o consumo de certos alimentos pode agravar o eczema. Nesse caso, a reação alérgica pode se extinguir caso você interrompa o oferecimento do alimento ao seu filho. No entanto, não restrinja a dieta do bebê antes de se certificar da causa da alergia consultando um médico.
  • Roupas de algodão geralmente não dão reações alérgicas em bebês – prefira esse tecido e tente evitar o uso de lã e fibras sintéticas que podem esquentar demais a pele do bebê e piorar a dermatite atópica.
  • Mantenha as unhas do seu bebê sempre aparadas para evitar que coce as feridas.

Esperamos que as dicas sobre dermatite atópica em bebê tenham ajudado a lidar com o problema. Na maioria das vezes não é algo preocupante e desaparece com o tempo. Converse com um pediatra, alergista ou otorrinolaringologista para saber o que pode ser feito para tratar e aliviar os sintomas no seu pequeno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here