Dor miofascial: causas, prevenção e tratamento

0
83

Dor miofascial: causas, prevenção e tratamento

Síndrome comum, porém pouco falada, a dor miofascial é uma patologia que surge na musculatura e nos tecidos moles do corpo. A sensação de dor está ligada aos chamados pontos-gatilhos, que são pequenas fibras musculares que ao serem contraídas geram o sofrimento. 

Os sintomas da dor miofascial costumam ser dores musculares constantes, dores com muita intensidade após pressão manual e dores que surgem após alguma atividade de média intensidade ou momentos estressantes. Geralmente podem surgir na região da cabeça, mandíbula, pescoço, lombar, braços, pernas e região pélvica.  

Dor miofascial: principais causas

Os motivos mais relevantes que podem desencadear no surgimento desta síndrome são: 

– Condicionamento físico inadequado a atividade praticada;

– Distensão muscular;

– Má postura; 

– Bruxismo;

– Distúrbio do sono;

– Anemia;

– Hipoglicemia;

– Sedentarismo;

– Roupas excessivamente apertadas que prejudiquem os movimentos;

– Repetição de movimentos durante as atividades diárias;

– Traumas ortopédicos recentes;

– Hipotiroidismo; 

– Estresse e ansiedade;

– Problemas emocionais.

Além disso, existe a probabilidade de algumas doenças estarem de alguma forma associadas a síndrome, como por exemplo: 

– Doenças reumatológicas;

– Tireóide;

– Diabetes;

– Doenças neurológicas;

– Anemia profunda;

– Depressão. 

É interessante saber que a enfermidade é geralmente mais frequente em pessoas do sexo feminino e em pessoas idosas. Para fechar o diagnóstico, é necessário que o médico realize alguns testes físicos onde serão procurados nas áreas mais sensíveis os músculos que apresentam dores. Em alguns casos, podem ser solicitados exames de eletromiografia, para analisar a atividade elétrica da musculatura. 

Formas de prevenção da dor miofascial 

Não existem formas diretas de cuidados prévios, porém evitar a tensão muscular excessiva já é um caminho. Procure diminuir a repetição contínua de movimentos, reduzir o estresse e melhorar a postura do corpo durante as atividades diárias. Ao sentar, cadeiras ergométricas e suportes para os pés são acessórios bem-vindos para manter uma posição confortável sem ser prejudicial a estrutura física. 

Possíveis tratamentos: liberação miofascial

Existem diversos tipos de cuidados que podem ser utilizados para aliviar a dor miofascial, entre eles, o repouso, o uso de medicamentos antiinflamatórios, relaxantes musculares, sprays de resfriamento e injeções de analgésicos. Acontece que, todos esses procedimentos apenas servem como uma redução temporária da dor e não um tratamento de cura dos motivos causadores dessa dor. Por isso, é preciso avaliar o que tem ao certo desencadeado o problema. 

A liberação miofascial é uma das práticas que mais desenvolvem resultados positivos no tratamento da síndrome. Essa terapia trabalha diretamente nos tecidos musculares do corpo, alongando, desbloqueando e liberando a fáscia, o tecido conjuntivo que envolve de maneira única todas a estrutura humana.

De forma manual, ela age como uma espécie de massagem que, lentamente com uma pressão suave nos pontos de nódulos, consegue fazer com que flua as toxinas que causam as dores. Alguns fisioterapeutas e massoterapeutas utilizam também rolos e bolas para ajudam no deslizamento dela. Pessoas com diabetes, osteoporose e hipersensibilidade vascular devem evitar esse tipo de tratamento. 

A dor miofascial muitas vezes começa de maneira lenta. É importante que ao identificar os primeiros sinais dos chamados pontos-gatilho, o paciente procure atendimento. Se não tratado, esses pequenos traumas podem desencadear em dores crônicas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here