Ingurgitamento mamário: saiba o que é e como tratar

0
528

Ingurgitamento mamário: saiba o que é e como tratar
No início da amamentação, o leite pode se acumular nos seios, causando dor e desconforto para a mãe.
Logo nos primeiros dias após o parto, o colostro produzido pela mãe recém-parida vai se transformando em leite materno e, nesse processo, pode se acumular nos condutos lácteos, causando o ingurgitamento mamário, também conhecido como “leite empedrado”.

Isso acontece porque, no início do período de amamentação, a produção de leite ainda não está totalmente regulada (fase chamada de “autorregulação da fisiologia da lactação”). Desse modo, a produção exagerada de leite se acumula no interior dos ductos mamários, o leite se torna mais viscoso e não passa com facilidade pelos canais mamários.

Nessa etapa, é comum os seios ficarem mais cheios e firmes, resultado da maior quantidade do líquido, do maior fluxo de sangue e do fluido linfático extra no tecido mamário. Nas mães que acertam logo no início a pega na amamentação e o bebê está se alimentando de forma correta e com frequência, a sensação de mama cheia passa logo.

Mas as que produzem mais leite do que os seios comportam ou encontram dificuldades durante a amamentação acabam sofrendo com os sintomas da ingurgitação mamária e, se não tratada a tempo, pode virar um problema mais sério e até interromper o aleitamento materno.

O ingurgitamento mamário pode acometer qualquer mãe, tanto as que amamentam quanto as que não. Embora seja mais comum no período inicial, o leite empedrado pode acontecer em qualquer estágio do aleitamento materno, se o bebê mamar menos por estar doente ou dormir mais, durante a introdução alimentar ou quando ele vai para a creche, por exemplo.

Sintomas do ingurgitamento mamário
Os principais sintomas do ingurgitamento mamário são:
Seios duros e cheios de leite;
Mamas aumentadas;
Seios quentes ou encaroçados;
Mamilos achatados;
Pele dos seios brilhante e esticada;
Mamilos duros e planos;
Desconforto ou dor nas mamas;
Vazamento de leite;
Febre em alguns casos.

Causas do ingurgitamento mamário
O ingurgitamento mamário pode surgir em um ou nos dois seios, devido principalmente a:
O atraso do início da amamentação;
Técnica incorreta;
Sucção do bebê ineficaz;
Mamadas pouco frequentes;
Uso de suplementos ou medicamentos que aumentam a produção de leite;
Cirurgia para aumentar ou diminuir os seios;
Sutiã ou blusa apertados.

Tratamento do ingurgitamento mamário
É importante identificar e tratar o ingurgitamento mamário o mais rápido possível para não prejudicar a produção de leite e evitar a evolução para uma mastite, causando ainda mais dor e desconforto para a mãe.

Caso você perceba as mamas doloridas, cheias e duras, vale a pena adotar alguns passos como:
Retirar o excesso de leite com as mãos ou uma bombinha de tirar leite;
Não atrasar o início da amamentação;
Amamentar com frequência;
Aplicar compressas frias logo após o bebê terminar de mamar para diminuir a inflamação da mama;
Aplicar compressas mornas nos seios para ajudar na liberação do leite e aumentar sua fluidez;
Fazer massagens leves na mama para aumentar a fluidez do leite e estimular a ejeção;
Estudos científicos mostraram que colocar folhas de couve limpas dentro do sutiã ajuda a reduzir o inchaço e o desconforto;
Paracetamol e ibuprofeno podem ser tomados durante a amamentação para aliviar as dores e o desconforto. Siga a recomendação do seu médico.

Como prevenir o ingurgitamento mamário
É possível evitar o ingurgitamento mamário e seus desconfortos. Para isso, é importante:
Iniciar a amamentação o mais rápido possível;
Amamentar em livre demanda (de oito a doze vezes por 24 horas) ou no máximo a cada três horas;
Se certificar de que o bebê está esvaziando completamente o seio após cada mamada;
Acertar a pega do bebê;
Amamentar em posições diferentes;
Extrair o leite que sobrar da mamada até o seio ficar vazio;
Usar um sutiã confortável e sem armações. Quando em casa, evitar usar sutiã.

Se preciso, recorra à ajuda de uma consultora em aleitamento materno ou especialista em amamentação para evitar ou tratar o ingurgitamento mamário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here