Como fazer a introdução de novos alimentos para o bebê

0
218

Como fazer a introdução de novos alimentos para o bebê 

A introdução de novos alimentos para o bebê nada mais é do que proporcionar o crescimento adequado ao seu filho. Isso porque, a cada etapa de seu desenvolvimento, são necessárias novas necessidades nutricionais tanto qualitativa quanto quantitativamente.

Siga as nossas dicas para saber o melhor momento e como iniciar a introdução de novos alimentos para o bebê.

Introdução de novos alimentos para o bebê: quando e como iniciar ?

O leite materno passa a não ser o único alimento após os 6 meses, quando o neném, do ponto de vista enzimático, está apto para iniciar a introdução de outros alimentos e o leite materno sozinho não é mais suficiente para sua nutrição.

A introdução deve ser aos poucos, para dar tempo para a criança se adaptar aos novos sabores e texturas e também para os pais e pediatras avaliarem intolerâncias e alergias alimentares. Por isso, o recomendado é introduzirmos um alimento de cada vez.

Uma boa opção é primeiramente introduzir uma fruta amassada, como banana, maçã e pêra, por serem mais doces, saborosas e com fraco potencial alergênico. Inicialmente, em pequenas quantidades, mais ou menos 2 colheres de chá, sempre utilizando a colher.

A sopinha

A primeira sopa de legumes pode ser servida aos 6 meses. Ela pode ter batata ou arroz, cenoura ou abóbora, e ser temperada com cebola e alho, tipo purê. Não se deve adicionar sal e se deve amassar bem os legumes após cozinhá-los. Pode adicionar um fio de azeite no final. Após 4 dias da primeira sopa, poderá começar a colocar carnes brancas, preferivelmente o frango (25 a 50g/dia).

Gradualmente, são acrescentados novos legumes e hortaliças como: alface, couve, abobrinha, couve flor, brócolis, chuchu e berinjela. Um a cada 3 dias (no limite total de 5). É bom sempre variar.

Depois de passados 2 meses, a criança já pode tomar a sopa em 2 refeições.

Aos 7 meses, já entram no cardápio os peixes, como linguado e pescada, na quantidade de 15 a 20g/dia.

As leguminosas como feijão, ervilha, lentilha só são incluídas sem casca e a partir dos 9 meses. 

Só a partir de 1 ano de idade é que se introduz espinafre, nabo, aipo e beterraba pelo elevado teor de fitato e nitrato. Também só após essa idade, pode-se recomendar o consumo do morango, amora, kiwi e maracujá, pois poderão provocar alergia.

Pode-se fazer sopa para 3 dias, deixando-se no congelador em potes separados. Quando for usar, aquecer em banho maria.

O ovo 

O ovo pode ser incluído na dieta do bebê no 9º mês. Inicialmente, dá-se ½ gema cozida, aumentando-se até 1 ovo inteiro com 1 ano de idade. A clara do ovo só deverá ser consumida após os 10 meses.

A papinha

Você pode dar ao seu filho papas que têm que adicionar leite e as que já vêm com leite, mas, só a partir do 6º mês é que se deve oferecer as que contém glúten.

Cuidados na introdução de novos alimentos ao bebê

Às vezes, há necessidade de substituir o leite materno pelo artificial desde o nascimento, então nesses casos, a introdução dos alimentos se faz mais cedo, aos 4 meses.

Com 1 ano de idade, a alimentação do bebê pode ser a mesma da família, porém sem grandes temperos, pouca fritura, sem picantes e nem apimentados.

O leite materno deverá ser mantido até os 2 anos de idade, e o leite adaptado até 1 ano. 

O leite de vaca só pode ser oferecido a partir de 12 meses.

Na introdução dos alimentos ao bebê deve-se:

  • Evitar dar alimentos industrializados, como sopas e sobremesas de pote;
  • Não substituir refeições recusadas por mamadeiras;
  • Não forçar os alimentos. Insista em outras ocasiões e apresente os alimentos recusados de diferentes formas tais como: cozidos, em pedaços, em bolinhos, etc.
  • A dieta não deve conter sal e nem açúcar até 1 ano de idade. Para maiores de 2 anos, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda até 2g/dia de sal.
  • Oferecer água nos intervalos das refeições.

Hábitos alimentares saudáveis se adquirem na infância, evitando muitas doenças, como obesidade, hipertensão arterial e diabetes no futuro.

O maior desenvolvimento cerebral se dá nos primeiros anos de vida, quando são criadas uma quantidade infinita de futuras ligações neurais. Para o cérebro funcionar eficientemente na vida adulta, ele requer mielinização condicionada à alimentação adequada na infância.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here