Sapinho na boca do bebê: o que é, contágio e tratamento

0
352

Sapinho na boca do bebê: o que é, contágio e tratamento

O sapinho na boca do bebê é uma infecção fúngica mais comum do que você pode imaginar. Geralmente inofensiva na boca, afeta principalmente crianças com menos de dois anos de idade. 

Nos primeiros 12 meses seu bebê pode apresentar sapinho, mais de uma vez, mas você não deve ficar desesperada. O sapinho na boca do bebê é caracterizado por manchas ou pontinhos brancos, localizados na língua e boca da criança. Tem aspecto de queijo cottage ou coalhada. Bem como pode ser em menor ou maior proporção, com formação de placas. 

Entre os 6 meses de idade e os 2 anos, os bebês passam por uma fase em que tudo vai parar na boca. Esse comportamento possibilita o aparecimento de algumas doenças incômodas, como é o caso do sapinho. No entanto, não se preocupe, se você chegou até aqui, vamos tentar esclarecer suas dúvidas.

Como surge o sapinho na boca do bebê?

O sapinho na boca do bebê é provocada por uma infecção fúngica causado pela Cândida albicans, o mesmo que provoca a candidíase. Não é muito difícil que a própria mamãe realize o diagnóstico, no entanto há de se ter cuidado para não confundir com aftas. 

O sapinho se apresenta de forma esbranquiçada e pode cobrir a área interna da boca, gengivas e língua. Mais comum em bebês menores, que são mais suscetíveis à contração de doenças porque possuem imunidade mais baixa. 

Para que a infecção aconteça, seu bebê pode ter entrado em contato com objetos contaminados, ou mesmo com outra criança contaminada. Portanto, caso seu filho apresente sinais de sapinho, o melhor é afastá-lo do convívio com outros bebês. Lembra que falamos da fase oral? Pois é aqui que mora a possibilidade de infecção, tudo vai parar na boca de um bebê curioso e essa é a principal causa de infecção. 

A Cândida está presente em nosso trato digestivo e em nossa pele e normalmente não causa nenhum problema muito grave quando tratada. Os bebês são mais propensos a infecções fúngicas porque seus sistemas imunológicos ainda não estão totalmente desenvolvidos.

Além da contaminação por objetos infectados ou outras crianças que apresentem sapinho, as crianças podem ser afetadas, também, pelos seios da mãe, mãos infectadas e até mesmo mamadeiras que não passam pela higienização correta.

O fungo pode ser passado de mão para o bebê, especialmente e casos em que a mulher necessite fazer uso de antibióticos. Esse tipo de medicamento acaba por matar algumas bactérias de defesa do nosso corpo e o fungo da cândida acaba por crescer em demasia. Fungos se proliferam em ambientes úmidos e quentes e o bico do seu seio pode representar muito bem esse cenário. Se você apresenta mamilos rosados, doloridos e/ou rachaduras é melhor tomar cuidado, na dúvida procure seu médico.

De que forma é possível diagnosticar o sapinho na boca do bebê?

Normalmente é possível diagnosticar de forma rápida o sapinho na boca do bebê. Se o seu filho apresenta:

O bebê não quer se alimentar, não mama no seio e nem mesmo aceita que toquem em sua boca.

  • Manchas brancas e pontos aveludados cobrem a língua e parte interna da boca do bebê.
  • Ao mudar as fraldas do bebê, nota que há erupções avermelhadas e assadura.
  • Dificuldade de engolir.
  • Feridas que ao serem limpas podem causar sangramentos.
  • O sapinho é algo simples de ser diagnosticado. Além da boca, outros lugares podem apresentar sintomas, as dobrinhas do bebê e as unhas são dois deles. Caso você note algum desses sintomas vá ao seu médico pediatra de confiança para que ele faça o diagnóstico preciso e indique o melhor tratamento.

Felizmente, o sapinho tende a desaparecer em algumas semanas, com o tratamento correto. É muito provável que ele seja feito com uma pomada tópica antifúngica. Você e seu bebê devem ser tratados contra o fungo ao mesmo tempo, caso você tenha sido a causadora, para não haver risco de repasse. Verifique a necessidade de utilização de uma pomada antifúngica para aplicação nos mamilos, entre uma mamada e outra.

O sapinho da boca do bebê é um problema comum e fácil de ser tratado, desde que diagnosticado precocemente. Não costuma causar dor no bebê, desde que não atinja a garganta – o que acaba por ocorrer em estágios mais avançados. Tome sempre atenção aos sinais de saúde que seu filho apresenta e conte sempre com um profissional de saúde de sua confiança.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here