Toxoplasmose na gravidez: o que é, sintomas e tratamentos

0
303

Toxoplasmose na gravidez: o que é, sintomas e tratamentos

A toxoplasmose é uma doença infecciosa, causada por um protozoário encontrado em fezes de gatos. Os ovos do parasito ficam no ambiente quando os gatos defecam. Aves e mamíferos podem se contaminar com os ovos, ficando alojados no tecido muscular.

A infecção pode ser adquirida ou congênita (transmissão materno-fetal). Na maioria das vezes é assintomática, mas quando as grávidas se infectam, traz sérias complicações  para o feto. A toxoplasmose na gravidez tem 30% de risco da transmissão para o bebê.

A doença é mais severa no primeiro trimestre de gravidez, podendo ocorrer óbito fetal e perinatal, complicações neurológicas e oftalmológicas graves, além de malformações. 

Calcula-se que mais de 30% da população mundial já teve contato com o parasito.

Como é a contaminação?

A contaminação humana se dá pela ingestão de leite ou queijo não pasteurizado, de carne crua ou mal passada, de frutas e legumes mal lavados, do contacto com gatos infectados e com o solo contaminado.

Diagnóstico da toxoplasmose

Normalmente, o diagnóstico é realizado por testes sorológicos. 

Diagnóstico em bebês

Amniocentese: após 15 semanas de gravidez, retira-se líquido amniótico e faz-se exames para detecção de toxoplasmose.

Ecografia: serve para evidenciar se há ou não hidrocefalia (acúmulo de líquido no cérebro ) e/ou outras malformações.

Em casos graves:

  • Ressonância magnética cerebral: para detectar calcificações cerebrais características da doença.
  • Biópsia cerebral: para verificar presença de cistos de toxoplasmose. 

Toxoplasmose na gravidez: conduta

Com testes sorológicos suspeitos ou positivos, dá-se início ao tratamento o mais precocemente possível, para tentar evitar o contágio do feto ou minimizar as sequelas.

Em caso de IgG e IgM negativos, ou seja, que não estiveram em contato antes com o parasito, a grávida deve ser orientada sobre as formas de contaminação e como evitá-las. A sorologia deve ser repetida em série durante toda a gravidez, observando se vai positivar a IgM.

Sintomas de Toxoplasmose

Geralmente, não produz sintomas, eventualmente febre baixa, cansaço, dor muscular, gânglios aumentados, cefaléia. Em doentes imunodeprimidos, pode causar inflamação do cérebro (encefalite), do fígado, dos pulmões ou do coração.

Toxoplasmose na gravidez: sintomas em bebês

Se a mulher contrai a doença no primeiro trimestre, as complicações são graves. Quanto mais tarde ocorrer a infecção, maior é o risco de infectar o bebê, porém as complicações são mais leves.

A maioria dos recém-nascidos nascem sem sintomas. E, se não diagnosticados e tratados, podem evoluir para cegueira, surdez, retardo mental e epilepsia. Podem surgir meses ou muitos anos mais tarde.

Os sintomas precoces são convulsões, icterícia (olhos e pele amarelada), coriorretinite (inflamação na retina), hidrocefalia ou microcefalia, calcificações cerebrais, hepatoesplenomegalia ( fígado e baço grandes), estrabismo e anemia.

Há risco grande de parto prematuro, baixo peso quando bebê nasce, abortos espontâneos e óbito fetal. 

Tratamento de toxoplasmose:

Na maioria das pessoas, não há necessidade de tratamento, mas dependendo dos locais atingidos, sintomas e estado do sistema imunológico do doente, faz-se terapia  medicamentosa.

Como tratar a toxoplasmose na gravidez

Todas as gestantes infectadas devem ser tratadas sempre até o fim da gravidez, com pirimetamina, sulfadiazina e espiramicina.

As crianças devem ser tratadas durante 1 ano com pirimetamina e sulfadiazina.

Prevenção de toxoplasmose na gravidez

  • Não comer carne mal passada ou crua. Lavar bem as mãos e utensílios com água e sabão ao lidar com carne.
  • Usar luvas e lavar as mãos com sabão e água quando mexer na terra.
  • As frutas e legumes devem ser bem lavados antes de consumidos.
  • Só beber leite pasteurizado.
  • Evitar beber água não engarrafada.
  • Evitar contato prolongado com felinos.

Quando a grávida tem gato em casa

  • Verificar a troca diária da caixa de areia do gato. 
  • Evitar tocar na areia e nas fezes do animal. Se tiver que fazê-lo, usar luvas e lavar bem as mãos.
  • Não alimentar seu gato com carnes mal cozidas ou cruas.
  • Evitar deixá-lo sair de casa para não se contaminar.

Importante:

A transmissão não é de pessoa para pessoa a não ser na toxoplasmose congênita (infecções intrauterinas ).

O parasita permanece no organismo, e quando há queda do sistema imunológico, pode ocorrer a reativação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here