Trabalho de parto prematuro: quais as causas e como diagnosticar

0
436

Trabalho de parto prematuro: quais as causas e como diagnosticar?

Mesmo não sendo mamãe de primeira viagem, é preciso ter conhecimento sobre os vários assuntos que envolvem uma gravidez. Um dos temas mais delicados é o trabalho de parto prematuro. O parto prematuro se caracteriza pela chegada do seu bebê antes mesmo de que sua gravidez complete 37 semana. Há muitos fatores que podem contribuir para a antecipação do seu parto, sendo a ruptura do saco amniótico um dos incidentes mais comuns. Ainda que seja mais comum a ocorrência dessa situação no mundo todo, não há uma causa exata do porque isso acontece, o que muitas vezes torna o tratamento um pouco mais complicado. Gestantes que apresentam pré eclâmpsia, gestação múltipla (vários bebês), descolamento da placenta, são apenas alguns dos exemplos do motivo pelo qual o parto prematuro pode ocorrer. Por isso vamos entender melhor sobre as causas, consequência e tratamento.

 

Quais os problemas decorrentes do trabalho de parto prematuro?

 

O trabalho de parto prematuro, ou seja, que representa que mãe e bebê ainda não estão prontos para este momento, tem como principal problema o nascimento de crianças prematuras. Os problemas de saúde e complicações que os bebês nessa condição apresentam, está ligado diretamente ao fato de que seu desenvolvimento ainda não está completo. Os bebês prematuros nascem antes de seus corpos e sistemas orgânicos amadurecerem completamente. São crianças geralmente menores que os bebês que completam as semanas normais de gestação, possuem peso muito baixo e podem precisar de ajuda para respirar, comer e combater infecções. Nascidos de parto prematuro anteriores a 28 semanas necessitam ainda de mais cuidados pela vulnerabilidade de seu sistema, já que muitos órgãos ainda não estão formados nesta fase.

Além de complicações ao nascer, os bebês prematuros podem sofrer com problemas de saúde a longo prazo, isso porque tornam-se mais vulneráveis e possuem respostas não tão significativas aos tratamentos. Quanto menor a criança, maiores os problemas que poderá enfrentar. A gestante, neste caso, normalmente necessita de medicações que podem não ser bem aceitas ou simplesmente não funcionarem tanto para a mãe quanto para feto, nisso se incluem  tratamento com antibióticos.

 

Como identificar o trabalho de parto prematuro

 

O importante em uma gestação de risco é obedecer aos sinais do seu corpo. Nesse sentido observe alguns dos sintomas mais comuns do trabalho de parto prematuro para perceber se seu corpo está a dar indicativos. Embora cada mulher sinta de uma forma, identificar os indícios de que você está passando por isso é muito importante para a sua saúde e a do seu filho.

Se você sente:

 

  • Cólicas do tipo menstruais ou mais fortes;
  • Contrações uterinas que permanecem durante horas;
  • Pressão na região pélvica;
  • Corrimento vaginal anormal;
  • Dor na região da lombar

 

Pode estar vivenciando um trabalho de parto prematuro e deve imediatamente chamar seu médico, para que ele possa fazer um diagnóstico. Se essa suspeita for confirmada, um monitor eletrônico é usado para verificar a frequência e a duração das contrações. Também pode ser realizado um exame do colo do útero, que consiste em um exame de toque do seu médico, para verificar a situação do útero e avaliar os sinais. Outro método é utilizar a ultrassonografia  intravaginal para avaliar a situação do útero em tela.

 

O trabalho de parto prematuro pode ser fatal para a gestante e para o bebê, portanto é importante realizar todos os exames e acompanhamentos pré-natal a fim de identificar qualquer tipo de problema que sua gestação possa encontrar. Sempre se informe sobre os melhores métodos e tratamentos, buscando apoio de um profissional qualificado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here